Consultoria para tornar negócios mais acessíveis na web | i-Cherry

i-Cherry

15 Julho 2022
0 Comments

A i-Cherry, martech de estratégias de mídia do Grupo WPP, estruturou em sua operação um time de acessibilidade digital, com o objetivo de tornar negócios inclusivos para mais de 45 milhões de pessoas com deficiência.

Segundo o último censo do IBGE, no Brasil, as pessoas com deficiência representam uma renda mensal de mais de 11 bilhões de reais – apesar disso, a falta de acessibilidade web ainda é um grande impeditivo para que esses consumidores interajam virtualmente com pequenas e grandes marcas.  

Importância da acessibilidade 

Ao estudar como tornar a web mais acessível, nos deparamos com duas situações:

  1.  Os leitores de tela e os algoritmos de busca operam de forma muito similar, logo, ao tornar um site acessível também estamos cooperando para o rankeamento e a usabilidade daquele site para todes, máquinas ou humanos
  2.  Qualquer pessoa está sujeita a se tornar uma Pessoa com Deficiência pelo simples fato do envelhecimento. Assim, ao criar um site acessível a pessoa não está colocando uma funcionalidade de boas praticas ela está tornando o site acessível para todos e melhorando seu posicionamento e abrangência de marca para quem é ou não PCD.
 

O setor de acessibilidade da i-Cherry além de inclusivo é um serviço inovador, oferece a possibilidade de seus clientes terem um site que está dentro da lei. A Lei federal nº 13.146, mais conhecida como Lei Brasileira de Inclusão (LBI), entrou em vigor em 2015 e prevê uma série de direitos e deveres ao segmento da pessoa com deficiência.  

Em seu Artigo de nº 63, estipula como obrigatória a acessibilidade em sites mantidos por empresas, para que pessoas com deficiências tenham acesso às informações disponíveis, conforme as melhores práticas e diretrizes de acessibilidade adotadas internacionalmente. 

Case Guide Investimentos

Começamos a parceria com Guide em julho de 2021, organizamos o planejamento de ações e em agosto iniciamos estudos, recomendações e otimizações nos pilares de tecnologia, educação, conteúdo e posicionamento. Além disso conseguimos orientar diversas áreas – de Dev a Social. O setor é composto exclusivamente por pessoas com deficiência e tem como objetivo continuar abrindo portas para cada vez mais PCDs na agência.

A Guide, primeira corretora de investimentos a investir em ações digitais de acessibilidade, reestruturou todo o site para uso de ferramentas com a consultoria da i-Cherry. Dentre as ações, foram inseridos links de atalho para quem precisa navegar por teclado, assistente virtual de tradução em libras nos sites Guide e O Guia Financeiro, leitura em áudio disponível nos sites Guide além de resumo em texto de informações importantes abordadas nas lives, peças de redes sociais com texto alternativo nas imagens e descrição na legenda do post e treinamentos internos voltados ao tema. 

Trabalhamos de forma bem integrada com Guide e os setores de SEO, Criativo e WA, atuando tanto com orientações em conjunto como na criação de materiais mais acessíveis como o dash de Guide. Tranformando a agência e nossos clientes em espaços com mais equidade em pró da inclusão de todos.

Atender e conversar com todos os públicos é a nossa obrigação! Entendemos que muitas melhorias precisam ser feitas em todo o nosso trabalho, mas estamos no caminho para oferecer cada dia mais acessibilidade. Por isso, contamos com a consultoria especializada da i-Cherry e estamos trabalhando para que nossos canais digitais estejam cada dia mais acessíveis e inclusivos para todos os nossos clientes e parceiros - Fernanda Giuletto, Head de marketing da Guide Investimentos

Melhorias no site 

Algumas mudanças simples como a cor da fonte do título da página e o contraste com o fundo, melhoraram a percepção do texto e deixou mais agradável para quem lê. 

Parte da antiga página inicial da Guide, com baixo contraste entre texto e imagem de fundo

Parte da atual página inicial da Guide, com contraste melhorado entre texto e imagem de fundo

Mais recursos 

Após o treinamento de Libras, a i-Cherry recomendou a ferramenta Hand Talk, que oferece um plugin que traz um tradutor virtual que, por meio de um avatar personalizado, traduz textos em português para a língua brasileira de sinais, a Libras. 

Página da Guide mostrando o plugin da Hand Talk com a avatar digital e intérprete de libras, Maya

Com o plugin da Hand Talk, temos a opção de traduzir textos e elementos do site em Libras (através do avatar) e em som – através do leitor de texto. 

Conteúdo e Redes Sociais 

Para ser acessível, todas as informações relevantes de uma página devem conter um equivalente textual. Isso significa que, se for usada alguma outra mídia, como imagens e sons, as informações que elas contêm devem ser repetidas numa descrição em texto que transmita as mesmas informações

Após o treinamento de Alt Text, além das imagens carregadas nas matérias do Guia Financeiro,  todas as redes passaram a receber descrições otimizadas e revisadas. 

Em pouco tempo, já é possível perceber  que existe um público que já está se beneficiando com os recursos de acessibilidade implementados no site de Guide e do Guia Financeiro. 

Em novembro, mesmo antes de Guide se posicionar, já tínhamos 1.393 traduções em Libras pela ferramenta do site. No dia 03 de Dezembro, após Guide se posicionar nas redes sociais, o Guia Financeiro contou com 7.123 traduções em 3 dias.

Dois gráficos mostrando alta de 1395 para 7123 traduções com o plugin da Hand Talk após o dia 03/12Consultoria especializada da i-Cherry

Hoje, menos de 1% dos sites brasileiros são acessíveis para pessoas com deficiência – um percentual muito baixo para uma adequação que está prevista em Lei (13.146) desde julho de 2015. Para a i-Cherry, especialista em canais digitais, os números reforçam a importância de uma consultoria especializada.

Entre os objetivos do trabalho estão a conscientização sobre o tema e a orientação de melhores práticas para de ambientes virtuais inclusivos para todas as pessoas, não apenas as com deficiência.

 

Na agência, o time de especialistas responsável pela operação é formado por profissionais multidisciplinares, que também são pessoas com deficiências. Para potencializar ainda mais o trabalho e ampliar as discussões, o time conta com o apoio de um comitê de acessibilidade digital formado por colaboradores de diferentes setores. Atualmente, o grupo possui mais de 30 profissionais e é dirigido por Adriano Nadalin, CEO da i-Cherry.

“Historicamente, gostamos de trazer para a mesa assuntos que proporcionam mudanças necessárias. Nós, como especialistas em comunicação, precisamos trabalhar para ser o impulso que vai transformar este cenário”, afirma Nadalin.

Para realizar diagnósticos precisos e recomendar as melhores práticas, o time de especialistas leva em consideração quatro pilares fundamentais: tecnologia, comunicação, posicionamento e educação. As recomendações são baseadas em análise de dados internos e oportunidades de mercado e vão além de websites: todo canal de comunicação digital pode ser otimizado, de sistemas a redes sociais.

“A nossa premissa é promover mudanças que gerem valor. Conteúdos e interfaces acessíveis podem atingir um público maior - gerando mais receitas, demandas e impacto positivo no posicionamento da marca. Todo mundo sai ganhando”, acrescenta Amanda Lyra, líder do Time de Acessibilidade da i-Cherry.

 

i-Cherry


A i-Cherry é uma agência de performance, que se destaca na integração entre mídia e dados, baseando suas decisões em tecnologias avançadas que envolvem essas disciplinas. Tem a missão de ser o agente de transformação de seus clientes, antecipando mudanças e desenvolvendo pessoas e mercados. Pertencente ao Grupo WPP, com escritórios em São Paulo e Curitiba, é um dos maiores compradores de mídia da América Latina, construindo projetos com os líderes de diversas categorias do país.

Deixe seu comentário